Entenda como funciona o processo para contabilizar o valor mensal do consumo de energia no mercado livre

INSCREVA-SE NO MEU CANAL NO YOUTUBE
CAMINHAR E PENSAR É SÓ COMEÇAR



Ao migrar para o mercado livre, surgem muitas dúvidas de como funciona a cobrança do volume de energia consumido mensalmente pela empresa. O consumidor deixa de receber a conta de energia, como acontece no mercado cativo. A composição do valor a ser pago é feita pelo cálculo da diferença entre a energia medida e a contratada pelo a agente. Como empresa especializada em soluções integradas para gestão de energia, a IBS-Energy cuida de todo o procedimento. Não fazemos apenas a migração, mas prestamos todo o suporte e atendimento com relação à gestão de energia para a nossa carteira de clientes.
Mas para entender melhor como o processo funciona, vou detalhar as etapas: Quando chega no fim do mês, a medição de energia é retirada do sistema da CCEE. Então, começa a contabilização que envolve o cálculo da diferença entre a energia medida e a contratada por agente. Esta diferença é valorada ao Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para efeito de liquidação financeira na CCEE.
É nesta contabilização que a CCEE também apura os valores devidos pelos agentes em relação a encargos de serviços de sistema (ESS), valores de recontabilizações de meses anteriores e outros fatores que impactam a todos agentes. Assim, é somada à conta o crédito ou débito referente à sobra / falta de energia em relação àquela contratada para chegar ao valor final que o agente deve pagar ou receber.
Após, aproximadamente 25 dias úteis, a CCEE emite o relatório da liquidação financeira de cada agente, para então realizar a compensação dos valores em conta bancária. Lembrando que não há emissão de notas fiscais pela CCEE aos agentes, e para efeito de contabilização interna, o agente custo diante emitirá uma nota de liquidação. Os resultados das operações são divulgados por meio de relatórios mensais.
Com todas estas informações em mãos, a IBS-Energy emite o relatório com o resultado final dos dispêndios realizados no ambiente livre de cada consumidor.

Antônio Bento é CEO da IBS-Energy e acumula larga experiência em gestão empresarial e governança corporativa, com atuação em negociação e instalação de joint ventures do setor automotivo, dirigindo operações no Brasil, Estados Unidos, Argentina e China, além de experiência na área financeira e hotelaria.


Majô Gonçalves - Verso Comunicação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Barba exige cuidados básicos, mas fundamentais

Atletas da delegação olímpica brasileira são recebidos no Palácio do Planalto

FPT Industrial chega a marca de 30.000 motores GNV vendidos no mundo